Primeiro filme de terror brasileiro chega às telonas em março de 2017

*Especial Cobertura CCXP 2016

‘O Rastro’ traz Rafael Cardoso e Leandra Leal como protagonistas

 

O cinema brasileiro já passou por várias estruturações e, hoje, já é possível afirmar que o Brasil acertou a mão nos filmes de drama e comédia. Dessa vez, o Telecine resolveu inovar e trouxe com exclusividade para a CCXP 2016 o primeiro terror brasileiro, O Rastro, produzido pela Lupa Filmes.

Fãs do gênero

André Pereira, produtor e roteirista do filme, contou que já é um fã antigo do gênero desde sempre e cresceu assistindo clássicos de terror, como Hitchcock e Polanski. Uniu o útil ao agradável quando encontrou o diretor João Caetano (JC Feyer), que também tinha referências mais sombrias do gênero.

A atriz Leandra Leal diz que o gênero fez parte de sua infância: “eu vi muito filme trash anos 80, passava muito na TV e eu curtia muito”. Em ‘O Rastro’, Leandra interpreta Leila, esposa de João [personagem de Rafael Cardoso], uma artista plástica, recém-casada, apaixonada e prestes a se tornar mãe do primeiro filho.

Terror psicológico

De acordo com Pereira, o terror possui vários subgêneros: “há aquela linha mais slasher, que são aqueles filmes dos anos 80, como A Hora do Pesadelo; tem um lado do terror que segue para a comédia; em uma outra ponta, você tem filmes mais sofisticados, filmes que as pessoas não caracterizam como terror, por exemplo Cisne Negro, e você tem também o sobrenatural psicológico, que é quando você vê um filme e fica na dúvida do que realmente aconteceu, o espectador tenta decifrar a história.”

Já o ator Rafael Cardoso, que vive o médico João no filme, afirma que a audiência para o gênero no Brasil ainda está em formação: “o Brasil ainda não explora muito o gênero, não temos muitos filmes feitos nesse movimento novo do cinema brasileiro”.

Rafael também contou que visitou várias referências para viver João e, durante o processo de criação de personagem, preferiu não se fixar em nada para poder aproveitar todas as referências que já viu e criar uma coisa nova.

Hospital mal-assombrado

O cenário do filme já é sinistro por si só: um hospital que está em processo de desativação. O local escolhido para ser palco do terror foi o tradicional Beneficência Portuguesa do Rio de Janeiro, em uma ala que estava desativada há 15 anos.

André conta que a primeira ideia para o cenário foi uma casa mal-assombrada, que, segundo o roteirista, é a base da literatura gótica e a origem de todo filme de terror. Mas logo perceberam que os hospitais brasileiros, por serem totalmente diferente dos hospitais nos Estados Unidos e na Europa, eram muito particulares e possuem elementos muito pesados.

“Quando você produz um gênero que não é tão familiar dentro da filmografia de um país, é legal que seja muito próprio de sua cultura e o hospital acabou se tornando um personagem”, completou.

Atividade paranormal

Filmar em um lugar sombrio, por si só, já é quase uma experiência sobrenatural. Mas será que André e os atores vivenciaram algo inexplicável durante as gravações? O roteirista, embora cético, afirma que é possível sentir a carga no ambiente, afinal de contas, é um local de passagem; vidas começam e terminam ali.

Já Leandra diz que o hospital é um lugar de sensações extremas e que acredita em energias e muitas outras coisas: “não é um lugar leve, um set leve”, afirmou.

Um novo gênero para o mesmo público

Tanto André quanto os atores parecem certos que o público receberá muito bem o gênero novo: “ainda temos poucos filmes no gênero, existem coisas sendo feitos, mas ainda é muito incipiente, com exceção da tradição do gênero lá de trás, como o do Mojica [Zé do Caixão], que é outro subgênero. Espero que as pessoas vejam um filme diferente, pois temos esse diferencial,” afirmou o roteirista.

Sinopse  e ficha técnica do filme

João (Rafael Cardoso) é um médico escolhido para coordenar a remoção de pacientes de um antigo hospital prestes a ser desativado. Na noite da transferência, uma menina de dez anos desaparece sem deixar vestígios. Quanto mais João se aproxima da verdade, mais ele mergulha em um universo obscuro, que nunca deveria ser revelado.

‘O Rastro’ estreia no cinema em 30/03/2017.

Ficha Técnica
Elenco:
Leandra Leal, Rafael Cardoso, Felipe Camargo, Claudia Abreu, Jonas Bloch
Direção: JC Feyer
Produção: Malu Miranda e André Pereira
Roteiro: Beatriz Manela e André Pereira
Produção Executiva: Bia Caldas
Coprodução Executiva: Fabien Westerhoff
Direção de Produção: Clara Machado
Direção de Fotografia: Gustavo Hadbaia
Direção de Arte: Daniel Flaksman
Matéria originalmente publicada aqui.

Tópicos recentes

Comentários

    Arquivos

    Categorias

    Meta

    Certificação em produção de conteúdo para web

    lupcaczan Written by:

    Be First to Comment

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *