3 coisas que você pode fazer em seu tempo livre para aumentar sua autoconfiança

“O momento em que você duvida se pode ou não voar, você acaba de vez com a capacidade de fazê-lo”, escreveu o escritor e dramaturgo inglês, James Matthew Barrie.

Essa frase pertence à sua obra The Little White Bird (O Pequeno Pássaro Branco), que foi precursora de seu trabalho mais importante, Peter Pan, de 1902, e descreve perfeitamente o poder da confiança.

“A razão pela qual os pássaros voam e nós não é que eles têm a fé perfeita, pois ter fé é ter asas”, continua o autor.

E mesmo que essa frase não tenha embasamento científico, não quer dizer que ela não tenha mérito.

O menino que não queria crescer

Por mais de um século, as pessoas continuam a se fascinar com a história de Peter Pan, o menino que não queria crescer e que nunca duvidava. A história dele é de confiança pura e sem restrições.

E, de um modo ou de outro, todos nós aspiramos viver uma vida plena de autoconfiança, como fez Peter Pan.

A ciência e a autoconfiança

Há benefícios incríveis em viver a vida com confiança e há, também, métodos cientificamente embasados para aumentá-la.

Existe um ditado que diz que “a confiança é a alma do negócio”. Mas será que é mesmo?

Na verdade, esse ditado tem apoio da ciência até um ponto razoável. A confiança pode ter um papel fundamental no quanto de sucesso você tem em seu local de trabalho, nos seus relacionamentos e até em sua saúde.

Você acha que poderia ser mais confiante do que é hoje? Espia só como você pode mudar isso.

“Se aprendemos a falhar, podemos aprender a ter sucesso”

E não, não vou começar a te empurrar frases e pensamentos de autoajuda e também não vou dizer para você ir à livraria mais próxima (ou a abrir uma nova aba no seu navegador) e comprar uma cópia de O Segredo. (Se quiser, fique à vontade. :))

Em vez disso, veja abaixo algumas sugestões cientificamente testadas e aprovadas em como se transformar em uma versão mais autoconfiante de você mesmo, baseadas em um vídeo feito pela galera competente do TED-Ed.

1. Aumente sua confiança rapidinho com uma simples “pose poderosa”.

 

Você sabia que uma coisa tão simples (e popular nas selfies por aí) como fazer uma pose poderosa e confiante pode levar o seu cérebro a fazer com que você realmente se sinta mais confiante?

Sim, pode. MESMO.

Tente isso: da próxima vez que você se sentir angustiado ou nervoso com algo, tipo uma entrevista de emprego, por exemplo, tire dois minutinhos antes do seu compromisso e faça essa pose: fique em pé, coluna reta, coloque seus ombros para trás, abrindo o seu peito, e coloque as mãos nos quadris.

Estudos indicam que essa pose pode levar para um aumento de confiança e redução de stress em curto prazo. Como isso funciona?

Veja o que a psicóloga social da Harvard Business School disse a respeito em uma das palestras do TEDGlobal: “Nossas ações não-verbais controlam o modo como pensamos e sentimos a nosso respeito. Nossos corpos mudam nossas mentes”.

2. Se convença que você tem a capacidade de melhorar

Sei que esse tipo de coisa entra para a categoria das coisas que são mais fáceis de falar do que fazer, mas não é tanto assim.

Pense na sua vida e identifique as coisas que você não pode mudar e as que você pode.

Não é possível mudar a cor dos seus olhos ou a sua altura, por exemplo, mas você pode aumentar sua força com treinamento.

Pergunte-se se o seu objetivo é algo que você possa alcançar se aprimorar alguma de suas qualidades, mesmo que isso seja um pouco mais difícil de se conquistar.

Seu objetivo é se falar melhor em público? Isso é algo que você pode aprimorar. Quer ser um entrevistador melhor? Essa é uma habilidade que pode ser aprimorada. Deseja ter maior força na parte superior do seu corpo? Isso você consegue com treino.

Você vai perceber que poucas coisas na vida não podem ser mudadas. Todos temos limitações, mas enquanto nos lembrarmos que não estamos enraizados e aprisionados, temos o incentivo de nos manter motivados.

3. Falhou. Tente novamente. Repita.

 

Tenha certeza: você vai falhar (#AceitaqueDóiMenos). Porém, mais importante que a sua falha é como você reage a ela. Você se levanta, chacoalha a poeira, encontra uma nova estratégia e tenta de novo? Ou você desiste de uma vez?

Quer um exemplo real?

Veja o Michael Jordan, o famoso jogador de basquete. Ele foi campeão da NBA por 6 vezes, considerado o jogador de basquete mais bem pago por 5 vezes, ganhou medalha de ouro por duas vezes em Olimpíadas e, em 2009, entrou para o hall da fama do basquete.

Para muitos, ele é o melhor jogador de basquete que já existiu. O que muita gente esquece é que ele é alguém que já passou por muitos fracassos.

Leia abaixo um trecho de um anúncio da Nike que Michael Jordan fez em 1997:

“Eu perdi mais de 9 mil cestas em minha carreira. Perdi quase 300 jogos. Por 26 vezes, contaram comigo para fazer a cesta da vitória em um jogo e eu errei. Eu falhei muito na minha vida. E foi por isso que eu tive sucesso.”

Quando Michael Jordan se aposentou em 2003, ele havia perdido mais de 12 mil cestas.

Poucas pessoas serão tão boas em algo como Michael Jordan foi no basquete. Nós vamos falhar. Mas se vamos nos levantar e tentar de novo depende de cada um de nós.

Se aprendemos a falhar, podemos aprender a ter sucesso.

Para terminar, olha só que vídeo bacana que o TED-Ed fez com as variações dessas três dicas.

Clique no play e prepare-se para o seu empoderamento!

Lembre-se de ativar as legendas em português no menu do vídeo. Veja também no YouTube.

Fonte: upworthy.com.

 

Texto publicado aqui.

Tópicos recentes

Comentários

    Arquivos

    Categorias

    Meta

    Certificação em produção de conteúdo para web

    lupcaczan Written by:

    Be First to Comment

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *