Você vai se emocionar com a incrível história de Petra, a cachorra que parecia de pedra.

Em abril de 2015, em Atenas, na Grécia, uma mulher avistou uma cachorra de rua cujo rosto parecia de pedra.
A cachorra vira-lata de 5 anos de idade, além de muito doente, estava também aterrorizada. Porém, mal sabia que aquele seria o começo do fim de seu sofrimento.
A mulher que a encontrou tirou uma foto da cachorra e a postou no Facebook na esperança que as pessoas certas a veriam e viriam em sua ajuda.
Petra significa “pedra” em grego. Parece poético, não é mesmo? Porém, a história de Petra nada tem de poesia.
Aparentemente, Petra teve um passado de torturas, pois a proximidade das pessoas fazia com que o animalzinho tremesse de medo. Ela fugia apavorada se alguém chegasse muito perto dela. Seu resgate foi extremamente difícil, porém ninguém desistiu de tentar salvar Petra.

A CHEGADA AO ABRIGO

Quando finalmente Petra foi capturada, ela foi encaminhada ao abrigo Save a Greek Stray localizado em Oropos, na Grécia. Lá, conheceu Valia Orfanidou, uma alma bondosa cujo amor pelos animais já contribuiu para que ela ajudasse a reabilitar muitos cachorros.
Vaila conta sua primeira impressão ao ver Petra pela primeira vez: “Acho que ela sempre foi uma cachorra de rua e nunca teve contato próximo com pessoas. Mesmo cachorros nestas condições, se tiveram contato com outras pessoas, são mais amigáveis. Parecia que Petra nunca havia sido acariciada.”
Petra estava em uma condição muito grave e recebeu tratamento para quase todas as doenças, desde sarna, uma infecção de pele que causa uma crosta dolorosa e outras lesões, à leishmaniose, uma infecção causada por parasitas que pode ser mortal, se não for tratada adequadamente.
Na verdade, a sarna severa é o que deu à Petra a aparência de pedra.

MAIS QUE O TRATAMENTO COM REMÉDIOS

Mesmo depois de iniciado os tratamentos para cuidar de sua saúde, o sofrimento da cachorra ainda era visível.
“O problema maior era que ela ainda não confiava em ninguém”, conta Ofanidou. “Ela não saía de sua gaiola; ela se escondia toda vez que alguém se aproximava e rosnava para os outros cachorros do abrigo.”
A primeira vez que Ofanidou tentou se aproximar de Petra, a cachorra estava tão apavorada que acabou fazendo suas necessidades dentro da gaiola, mas a moça se recusava a desistir de ajudar Petra.
“Na segunda vez, levamos uma hora para andarmos poucos metros da gaiola dela. Ela dava três ou quatro passos, e parava. Eu a puxava delicadamente e ela dava mais alguns passos”, completa Orfanidou.

PETRA FOI APRESENTANDO MELHORAS A CADA SEMANA.

Ela começou a sair de sua gaiola e, gradativamente, começou a aceitar e tolerar o contato humano. Ofanidou nunca desistiu de Petra e isso acabou se tornando recompensador.
Logo, Petra era outra cachorra.
“Ela começou a balançar a cauda e estava disposta a brincar conosco, com seus brinquedinhos e até com os outros cachorros”, conta Orfanidou. Petra estava pronta para receber todo amor e carinho que nunca havia recebido antes.

O RECOMEÇO DE PETRA

 

 

Hoje, Petra está totalmente irreconhecível. Ela não está mais pele e osso, cheia de sarna ou apavorada com a proximidade das pessoas. Ela está linda, por dentro e por fora.
Petra ainda está a procura de seu lar permanente e está preparada para se juntar à sua nova família.
Texto publicado em 10/04/2016.

Tópicos recentes

Comentários

    Arquivos

    Categorias

    Meta

    Certificação em produção de conteúdo para web

    Be First to Comment

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *